Aracaju, 29 de Novembro de 2021

Alunas do Atheneu apresentam projeto de combate à pobreza menstrual

Há alguns anos a Alese tem proposituras no sentido de fornecer absorventes íntimos para estudantes e até o momento nenhuma foi aprovada.
15/10/2021 09h:00 - Por Com informações da Alese - Fotos:Joel Luiz

Estudantes do Colégio Atheneu foram à Assembleia Legislativa de Sergipe e apresentaram ao presidente da casa, deputado Luciano Bispo, o Projeto de Lei “Programa Absorvente é Direito”.

 

Criado por elas, o projeto reivindica a distribuição de absorventes para alunas carentes a fim de combater a pobreza menstrual. O projeto é pré-selecionado na etapa estadual do projeto Parlamento Jovem Brasileiro , na Câmara dos Deputados em Brasília.

 

O presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, deputado Luciano Bispo, recebeu as estudantes na manhã da quinta-feira (14), junto com a vice-governadora de Sergipe, Eliane Aquino e o deputado Zezinho Guimaraes.

 

A vice-governadora Eliane Aquino lembrou que a escola e a sociedade estão lidando com uma nova geração que se abre para debater várias questões sociais, e que ter meninas-mulheres, estudantes da rede estadual, apresentando projetos desse teor, abre a necessidade de que sejam ouvidas.

 

 

                        

               Vice-governadora, Eliane Aquino, destaca a importância da inciativa das estudantes

 

 

“Elas  ficaram em 2º lugar, na Câmara Federal, com a iniciativa desse projeto que foi apresentado no Parlamento Jovem Brasileiro. Com isso observamos que é preciso dar o protagonismo real que essas meninas têm. Porque quem vivencia, na base, todos os problemas sociais, são elas, e cada vez mais eu tenho dito o seguinte: nós, enquanto gestores e gestoras públicas, precisamos olhar para essas bases, precisamos olhar para a primeira infância, precisamos olhar para a adolescência, e dar oportunidade para que elas cresçam juntas. Nós não somos donos dos saberes. Nós não temos todas as respostas e nós somos representantes da população”, defendeu a vice-governadora.

 

 

 

Desdobramentos do projeto

 

Paralelo ao pedido na Assembleia, alunas do Atheneu conseguiram, numa parceria com a empresa Magazine Luiza,  6 mil pacotes de absorventes para serem distribuídos. Elas estão negociando com outra empresa para conseguirem kits de absorvente.

 

 

 

 

                           

 

 

Para a autora da iniciativa, a estudante Lenice Ramos Oliveira, de 17 anos, aluna do 3º ano, a possibilidade de o projeto se tranformar em Lei Estadual é uma uma alegria imensurável.

 

“Durante a pandemia, a gente furou a bolha e começou a perceber a necessidade de muitas meninas, de com o isolamento social, não terem acesso a absorventes. Eu fiz a criação desse projeto para ajudar essas meninas a obterem esse material. Estou anestesiada até a agora, pois sou uma menina de escola pública e para mim é uma honra estar aqui hoje e com isso incentivar outras pessoas a estarem nesses lugares”, comemora.

 

 

 

                                                                                                  Laiza Bezerra disse que o projeto busca incentivar outras meninas

 

 

Laiza Bezerra, aluna do Colégio Atheneu, e cursando o 3º ano, participou da montagem do projeto no ano de 2020, e disse que, com tudo construído, saíram em busca de recursos ” Iniciamos com a Lenice Ramos esse projeto no Parlamento Jovem Brasileiro, e daí em diante buscamos recursos para por o projeto em prática. Também queremos que outras meninas tenham esse estalo e se sintam incentivadas para que sigam também esse caminho”, frisou.

 

O deputado Zezinho Sobral, que também participou da reunião na quinta-feira (14), disse que  “sob orientação do presidente da Casa, deputado Luciano Bispo, e dos demais colegas e da vice-governadora, será criado um ambiente de viabilidade para solução da pobreza menstrual em Sergipe.

 

 

Muito discurso e pouca ação

 

A pobreza menstrual é um problema que, por muito tempo, ficou à margem da sociedade pelo simples tabu de se falar sobre menstruação. A discussão voltou à tona, principalmente nas redes sociais, na última semana, quando o presidente Jair Bolsonaro vetou o projeto de lei que previa distribuição gratuita de absorventes para mulheres em vulnerabilidade social.

 

Na Assembleia Legislativa de Sergipe algumas proposituras  voltadas para  a Pobreza Menstrual estão tramitando há alguns anos na casa: 

 

Tem o projeto do deputado Talysson de Valmir (PL)  que visa a criação, pelo Governo de Sergipe, de um programa de fornecimento de absorventes higiênicos nas escolas públicas estaduais do Estado. A deputada Goretti Reis já apresentou PL  que objetiva proporcionar uma estrutura para que o Poder Executivo materialize e operacionalize o Programa de Fornecimento de Absorventes Higiênicos de forma a reestruturar a assistência às mulheres de baixa renda. Até o momento, nenhum deles foi aprovado.

 

Comentários